quinta-feira, 1 de julho de 2010

"Os irresistíveis falsários"


Depois de assistir "Os irresistíveis falsários", comédia que aborda a falsificação dos diários de Hitler, fomos questionados e motivados (mais uma vez pelo Blog-Mãe) acerca da autenticidade e veracidade de três tipos de objetos que apareceram que no filme:

1) O quadro de Eva Braun
2) Os diários de Hitler
3) A carta de Hitler que atesta a autenticidade dos diários, pedida ao Prof. Knobel, quando ele estava com um surto de febre

Na verdade, a tarefa consiste em:

a) explicar quem atestou a autenticidade deles;
b) discutir se são diplomaticamente autênticos;
c) analisar se são legalmente autênticos;
d) definir se são historicamente autênticos;
e) explicar se são verídicos.


A essa altura do campeonato você deve estar se perguntando: tá, mas o que a imagem deste post tem a ver com o assunto? (Ou melhor, a função dele, somos futuros arquivistas, vamos começar a pensar como tal, rsrsrs).

A explicação: trata-se de um dos quadros pintados por Adolf Hitler que, após a morte do pai, tentou seguir carreira de pintor e foi recusado pela Academia de Artes de Viena. Colocamos esta imagem para auxiliar na análise do suposto quadro de Eva Braun.

Porém, antes de trabalhar com cada objeto em específico, queremos acentuar que todos eles são inverídicos e historicamente inautênticos, visto que seus conteúdos não correspondem com a realidade, não são fatos que aconteceram na vida de Hitler e, muito menos, obras criadas por ele. Tudo foi inventado pelo Prof. Knobel, o qual utilizou até momentos de sua vida particular nos hipotéticos diários de Hitler.

A partir disso, vamos à análise dos itens 'a', 'b', e 'c':

O quadro de Eva Braun

a) A autenticidade do quadro foi atestada pelo Professor Strasser, que se dizia amigo próximo de Hitler. Strasser aproveitou a história do quadro apenas para comprovar que convivia com Hitler, fato que pode ser questionado já que o quadro foi inventado por Knobel e nada do que estava retratado nele realmente aconteceu. Podemos até considerar que a mentira de um comprovou a mentira do outro.

b) O quadro é diplomaticamente inautêntico, visto que foi pintado por Knobel anos depois da morte de Hitler e não possuía a assinatura do líder nazista. Além disso, provavelmente os materiais empregados na criação do quadro não correspondiam aos da época de Hitler. Até a técnica de pintura era diferente, sem contar que, entre os quadros genuínos de Hitler, predominava a exposição de paisagens, cartões postais.

c) O quadro também é legalmente inautêntico. Não existe nenhuma prova de sua autenticidade e muito menos, a intervenção de uma autoridade garantindo sua genuinidade.


Os diários de Hitler

a) Os diários passaram por diversos peritos que atestaram sua autenticidade mediante comparação com a carta de Hitler (também escrita pelo Knobel).

b) Apesar desses diários terem sidos analisados por muitos peritos, os diários são diplomaticamente inautênticos, visto que seus elementos não condizem com a época. Inclusive as iniciais apresentadas nos diários (F. H.) geraram polêmica e controvérsias. Porém, se utilizados para, por exemplo, analisar a carta de Hitler, eles podem ser considerados autênticos sob a ótica do produtor Knobel.

c) Visto que não se conhece os diários genuínos de Hitler (se é que existem), não é possível que haja a confirmação de alguma autoridade atribuindo-lhes valor de prova. Dessa forma, os diários são legalmente inautênticos.


A carta de Hitler

a) Assim como os diários, a carta também passou por vários especialistas que confirmaram sua autenticidade.

b) Ao que tudo indica, a carta criada por Knobel apresenta os elementos extrínsecos de uma possível carta escrita por Hitler, possuindo até uma assinatura dele (apesar de falsa). Se for assim, a carta é diplomaticamente autêntica, de tal forma que até serviu como referência para atestar a autenticidade dos diários.

c) A carta é legalmente inautêntica porque não existe validação de alguma autoridade competente. Apesar de gerar dúvidas quando foi atestada por especialistas.


Bom, acabando a análise, mas aproveitando o assunto, indico uma discussão de um fórum dos Testemunhas de Jeová sobre uma carta enviada a Hitler. Não é a minha religião, mas achei um tanto curioso o debate acerca da autenticidade e veracidade da carta. Adorei a frase de um dos participantes: "os documentos falam por si só!".
Acessem o link TESTEMUNHAS DE JEOVÁ LIVRES!!!

E vocês, o que acham? A carta é autêntica e verídica?



By Viviane Passarela

0 comentários:

Postar um comentário